Como otimizar para o Google Featured Snippets?

O que são Google Featured Snippets ?

Google Featured Snippets são resultados de pesquisa com um formato de layout enfatizado que fornecem aos utilizadores respostas concisas e diretas às suas perguntas.

Os Featured Snippets aparecem acima da posição do resultado número um, na página de resultados de pesquisa, também conhecida como a “Posição Zero”, ganhando assim um lugar privilegiado entre todas as pesquisas.

“Aquilo que muda com os Featured Snippets é que através deles existe uma melhoria para chamar a atenção do utilizador na página de resultados”, segundo o Google.

Este tipo de resultado de pesquisa inclui uma resposta precisa, o link da fonte, o título da página, e o URL.

Existem quatro tipos de Google Featured Snippets:

Parágrafo:

O Parágrafo é o tipo mais comum, com 82% de presença na pesquisa do Google. Para expor este snippet, o Google extrai um texto entre 50 e 60 palavras de uma página que responde à pergunta do utilizador.

Lista:

A lista do tipo de snippet ajuda o utilizador a atingir um objetivo dentro de uma ação metódica. Pode ser formatada de duas maneiras: numerada ou em forma de bullets.

A primeira é uma lista numérica onde se pode seguir uma ordem passo a passo. A segunda segue tópicos organizados, mas a ordem não é relevante.

Tabela:

O tipo de tabela é ideal para mostrar coleções de dados. Se os dados estiverem disponíveis no seu site, o Google produz automaticamente o formato da tabela para o snippet.

Vídeo:

O vídeo apresentado no snippet é o tipo mais recente de snippet fornecido pelo Google.

Seleciona vídeos relevantes que satisfazem a resposta à pergunta do utilizador em questão.

Assim, é possível ver um clip destacado, sugerindo a localização específica da resposta.

Como otimizar para os Featured Snippets?

Não há nenhum procedimento que lhe permita alcançar diretamente a “Posição Zero”.

A única certeza é que criar um conteúdo bem estruturado que dê respostas diretas a uma determinada pesquisa, ajuda o seu negócio a alcançar essa posição privilegiada.

Dito isto, vamos ver,

Como pode otimizar o seu conteúdo em cada formato?

Parágrafo:

Primeiro, antes de começar a criar conteúdo para um snippet de parágrafo, é aconselhável seguir este tipo de pesquisas:

Quem é…

O que é…

Onde está…

Como é que…

Comparação entre A e B.

Depois de escolher o tipo de consulta, é importante colocá-la numa tag H2 ou H3 e escrever a resposta diretamente abaixo.

As respostas devem ser limitadas a 50 e 60 palavras, usando a tag <p>. Esta tag define um parágrafo – é um atributo essencial do HTML.

Lista:

Para otimizar o conteúdo para a lista apresentada, é aconselhável delinear os passos com as etiquetas adequadas da lista no seu post e, para cada ação ou passo, usar um cabeçalho.

Na verdade, o Google tem melhor legibilidade quando as listas estão bem estruturadas.

Assim, é importante configurar as informações fornecidas com as tags específicas da lista, tais como <li>, <ol> ou <ul>.

Por exemplo:

<ul>

 <li>Pão</li>

 <li>Maçãs</li>

 <li>Peixe</li>

</ul>

Definimos esta lista de exemplos como uma lista não ordenada.

Uma vez que tenha o seu conteúdo estruturado e os seus passos alinhados, lembre-se de colocar um incentivo (call to action) adequado com as seguintes breves frases: “aqui estão”, “siga estes passos”, ou “comece com”, impulsionando uma ação.

Tabela:

Os fragmentos de tabela são ideais para exibir coleções de dados que a sua empresa possa ter.

Não há nenhuma forma específica para obter a atenção do Google nos dados de cada site.

No entanto, é importante:

  • Organizar os dados numa tabela;
  • Começar a tabela com um título relevante seguido da própria tabela e dos dados;
  • É também importante garantir que a tabela tem entre três a quatro linhas, para aumentar a possibilidade de as pessoas clicarem nela.
  • Isto não só melhora a experiência do utilizador que se deve fornecer, como também facilita ao Google a procura dos seus dados.

Vídeo:

Uma vez que o Google favorece o conteúdo de vídeo, é bastante fácil para si otimizar este tipo de Featured Snippets:

  • Organizar o conteúdo num formato passo-a-passo;
  • Carregar as legendas fechadas do vídeo;
  • Otimizar a descrição do vídeo com palavras-chave de cauda longa;
  • Inserir a resposta à consulta no início da descrição do vídeo. 

Para o ajudar a otimizar o seu conteúdo, aqui estão algumas ferramentas úteis que pode e deve utilizar.

Ferramentas que ajudam na otimização de conteúdos:

SEMrush – semrush.com

SEMrush é um software que fornece uma grande variedade de dados inteligentes e úteis para o seu negócio.

Informações de tráfego do website, auditorias do website e pesquisa temática são algumas especificações de SEO disponíveis neste serviço online.

Com esta ferramenta, será capaz de localizar e supervisionar, de forma eficiente os featured snippets já existentes.

Além disso, poderá descobrir e identificar novas oportunidades para classificar o seu conteúdo.

Clicando no separador de recortes de características, ser-lhe-á principalmente fornecida uma lista de oportunidades.

Esta lista permite-lhe verificar as potenciais palavras-chave que o ajudarão a classificar o seu conteúdo.

Answer the Public – answerthepublic.com

Answer the Public é uma ferramenta online que fornece consultas sobre um determinado tópico sobre o qual pode querer desenvolver conteúdo.

Para utilizar esta ferramenta basta escrever a palavra-chave na área de pesquisa, obtendo os resultados logo de seguida.

Esta ferramenta autosuggest é fornecida pelo Google e pelo Bing e reúne as consultas de pesquisa que os utilizadores estão a utilizar na Internet.

Por exemplo, neste caso, escrevemos a palavra SEO, e este foi o resultado:

Os resultados seguem 10 tipos de consultas: Quando, Porquê, Quem, O Que, Que, Onde, Vontade, Pode, e São.

Isto dá-lhe uma visão significativa e fontes para ideias de conteúdo.

Procure os resultados da pesquisa no Google

O Google está constantemente a alterar os seus parâmetros, por isso, é importante para si pesquisar que tipo de snippet o Google está a exibir neste momento.

O Google está a mostrar Featured Snippets de vídeo? Listas ordenadas? Tabelas de dados?

Ao fazer isto, pode otimizar e classificar para o formato específico que o Google está a apresentar.

Campo de Pesquisa do Google

A digitação na barra de pesquisa fornece ideias sobre o que as pessoas estão à procura.

Google People Also Ask

A caixa “As pessoas também perguntam” é um resultado SERP universal do Google que, responde a perguntas relacionadas com a consulta inicial do utilizador.

Pesquisas relacionadas com o Google

Pode encontrar esta caixa de sugestão na primeira página de resultados de pesquisa do Google.

A caixa irá mostrar-lhe tópicos relacionados com o termo inicialmente pesquisado, o que poderá dar-lhe ideias úteis sobre o que os utilizadores estão a procurar.

Pronto para otimizar o seu conteúdo para o Google Featured Snippets?

Descubra que tipo de Featured Snippets se adequa melhor ao tipo de conteúdo que produz e como o pode adaptar para entregar a sua mensagem mais facilmente.

Com estas dicas, temos a certeza que conseguirá obter resultados em pouco tempo.

Caso tenha quaisquer dúvidas sobre este ou outros assuntos, não hesite em contactar a UniK SEO. Teremos todo o prazer em ajudar.

Como fazer uma pesquisa de palavras-chave

Como fazer uma pesquisa de palavras-chave? Quais as ferramentas de palavras-chave para otimização de SEO?

Num mundo em que o SEO e o marketing de conteúdo andam de mãos dadas, fazer a sua pesquisa de palavras-chave é tão importante como criar uma boa estratégia de marketing de conteúdo.

Pode criar a mais bela e bem escrita peça de conteúdo, mas se não abordar as palavras-chave que os seus potenciais clientes procuram, eles não vão chegar à sua página. A chave é dominar ambas as estratégias.

Falaremos de marketing de conteúdo num próximo post do blogue, por isso, por agora, concentremo-nos apenas na pesquisa de palavras-chave para otimização de SEO.

Porque é que a pesquisa de palavras-chave é fundamental para a estratégia de SEO?

Ao escrever para uma audiência, o uso das palavras certas – as que a audiência procura – é obrigatório não só para ser encontrado mas também para ser ouvido.

Uma boa pesquisa de palavras-chave é uma ferramenta muito útil quando se trata de planear e prioritizar o seu conteúdo.

Fornecer informação de boa qualidade sobre o que as pessoas procuram permite-lhe ter uma orientação sobre como estruturar o seu conteúdo.

É inútil escrever sobre uma determinada palavra-chave que não tenha sido pesquisada durante 2 anos.

Quando se trata de palavras-chave, uma coisa a ter em mente é o comprimento.

Imagine que tem uma loja online de cachecóis. Seria ótimo se conseguisse a classificação #1 com a palavra-chave “lenço”, não seria?

O que acontece é que as palavras-chave de cauda curta (uma palavra-chave apenas) não são muito específicas e têm baixas taxas de conversão.

Deve tentar optar para palavras-chave de cauda longa, aquelas com três e quatro palavras-chave e, que são muito específicas para o que está a vender.

A procura de pesquisa será muito menor, mas conduzirá os clientes certos para o seu website. No fundo, queremos clientes que procuram o que estamos a vender para chegarem à nossa página – por isso use a palavra-chave específica que estão a procurar.

As melhores ferramentas de palavras-chave que pode usar:

Compreendemos que tudo isto pode ser avassalador no início, por isso reunimos três das melhores e mais utilizadas ferramentas de pesquisa de palavras-chave que o ajudarão a entrar no mundo da pesquisa de palavras-chave.

1. Google Adwordsplaneamento de palavras-chave:

Se tiver uma conta Google Ads, pode utilizar o Google AdWords Keyword Planner.

O Google Keyword Planner facilita aos anunciantes a criação de novos anúncios, uma vez que incorpora tanto a Ferramenta Google Keyword como o AdWords Traffic Estimator.

No entanto, pode utilizar a plataforma apenas para fazer a sua pesquisa de palavras-chave, uma vez que é uma ferramenta valiosa, sem realmente ter de criar uma campanha real.

Depois pode começar a pesquisar por palavras-chave. Deverá digitar uma palavra-chave (palavra, frase), página de destino ou categoria de produto e, filtrar a sua pesquisa de acordo com a língua e o país.

Ser-lhe-á fornecida uma extensa lista de palavras-chave sugeridas, relacionadas com o que pesquisou. Ser-lhe-ão também fornecidos volumes de pesquisa, tendências de pesquisa e estimativas de custos para cada palavra-chave.

Deverá procurar neste caso uma palavra-chave que tenha um bom número de pesquisas, uma vez que está à procura de um tópico relevante que muitas pessoas estejam a procurar e a pesquisar.

Portanto, entendemos que o “lenço de cobertura” tem um elevado número médio mensal de pesquisa, o que significa que é um tópico que se deve incluir.

Google Adwords – Keyword Planner

2. Ubersuggest – Neil Patel

Esta é uma ferramenta do Neil Patel que lhe dá uma lista de palavras-chave relacionadas com a sua pesquisa em concreto.

Por exemplo, se pesquisar por “lenços” pode dar-lhe outras opções como “cachecol para mulheres” e “lenços grandes” que têm um elevado número de pesquisas e, que já são mais específicas.

Neil Patel – Ubersuggest

3. Sugestões Google

Outra maneira fácil e eficiente de começar a sua aventura na pesquisa por palavras-chave é simplesmente usar a caixa de pesquisa do Google.

Já reparou como quando escreve algo no Google, este sugere imediatamente outras palavras relacionadas?

Isto ajuda os motores de pesquisa a salvar muitas entradas chave por dia e, também ajuda os profissionais de marketing a compreender as tendências de pesquisa no momento.

Dica: Escreva “_” no início da sua pesquisa, ou entre palavras, para obter ainda mais ideias. Por exemplo “_ lenços de seda”, ou “lenços _ preço”.

Como deve ter reparado, as ferramentas do Google podem, por vezes, ser contraditórias, cada uma delas mostrando números diferentes para a mesma palavra-chave dada, e sugerindo palavras-chave tendência completamente diferentes.

Isto deixa os profissionais de marketing a pensar que o Google pode estar a esconder dados para aumentar os preços dos cliques – ninguém pode ter a certeza disso.

De qualquer forma, deve consultar mais do que uma ferramenta e, posteriormente decidir qual a palavra-chave que é melhor e mais adequada ao seu contexto.

No final, deve sempre perguntar-se, se a palavra-chave que está a utilizar é relevante para o conteúdo do seu website.

Não importa que seja uma palavra-chave altamente pesquisada, se não for relevante para o seu público específico.

O seu conteúdo deve ser otimizado em SEO, mas acima de tudo deve dar respostas e deve converter os seus leitores em clientes – esse é o objectivo final.

Como uma agência de Marketing Digital pode ajudar no crescimento do seu negócio

Está a pensar em trabalhar com uma agência de Marketing Digital?

O crescimento do seu negócio no mundo digital de hoje pode, por vezes, parecer esmagador, mas compreender como funciona o digital é extremamente importante para o sucesso.

Porque é que o Digital se tornou crucial?

O marketing tradicional já não consegue atingir os públicos a que costumava chegar – O Marketing Digital pode.

O mundo digital dos negócios está em constante mudança e evolução, e as empresas de marketing digital estão cientes desta transformação.

Os consumidores estão mais informados que nunca e, as empresas que têm sucesso são as que compreendem esta forma diferente de fazer negócios hoje em dia, de uma forma eficaz.

O marketing digital é a promoção da marca através da tecnologia, com uma orientação muito mais precisa do seu target.

Proporciona resultados mensuráveis em tempo real e as estratégias podem ser fáceis e imediatamente testadas e ajustadas, de acordo com o contexto específico em que se encontram.

Então, porque é que uma empresa precisaria de uma agência de marketing digital? Um especialista digital ajuda-o a otimizar os seus recursos ao mesmo tempo que fornece a informação certa ao consumidor, bem como estratégias que ajudarão a fazer crescer a sua marca.

Já não basta apenas criar um anúncio e colocá-lo em todos os canais de televisão!

Com o marketing digital, pode chegar a uma audiência maior com um investimento menor, em comparação com as estratégias de marketing tradicionais que, têm um custo direto da distribuição e dos meios de comunicação tradicionais.

Cerca de 3,5 mil milhões de pessoas estão hoje ligadas à Internet em todo o mundo. O marketing digital torna a sua empresa visível em espaços digitais no contexto certo, em qualquer parte do mundo.

É por isso que é tão importante para a sua empresa levar o marketing digital a sério e, construir uma presença otimizada, tirando o máximo partido das oportunidades que surgem.

Os especialistas digitais ajudam-no a definir a melhor forma de comunicar a sua marca e otimizar as suas campanhas, ao mesmo tempo que fazem com que os meios digitais funcionem a seu favor.

Dado que as pessoas passam cerca de 20 horas por semana nos meios de comunicação social, é fácil compreender que quase todos os consumidores fazem pesquisas rápidas antes de comprarem qualquer serviço ou produto.

É por isso, que a sua marca deve ser visível em plataformas digitais, para que seja encontrada pelos seus clientes e potenciais clientes.

Uma agência de marketing digital analisa o seu negócio, nichos de mercado, discute as suas necessidades, esclarece os seus objetivos empresariais e digitais, implementando ferramentas que o ajudarão a satisfazê-los: SEO, PPC, planeamento de conteúdos, criação de backlinks, otimização de websites, gestão de redes sociais, etc.

Encontre uma agência que faça match com o seu trabalho, imagem de marca, bem como valores e fique surpreendido como um grande plano de marketing digital pode impulsionar o seu negócio.

O que faz uma agência de Marketing Digital?

Uma agência de marketing digital está altamente focada em resultados no mundo digital e é especialista em comunicação digital.

Podem facilmente seguir qualquer ação de marketing e medi-la, trabalhando na melhoria do seu ROI.

É uma equipa de estrategas, designers, redatores, criativos, programadores, consultores e gestores que trabalham em conjunto para obter os melhores resultados possíveis com a menor quantidade de investimento – em comparação com o marketing tradicional, onde se gastaria muito mais por um retorno muito menor e incerto.

Ao trabalhar com uma agência de marketing digital, eles ajudá-lo-ão a definir os seus objetivos e prazos e, ainda melhorar a sua produtividade e estratégias, otimizar o tempo, as ferramentas e o investimento.

No fundo, concentram-se em definir quem é exatamente o seu comprador, e trabalhar para esse objetivo específico. Quando souber quem é esse alvo, torna-se fácil determinar qual deve ser a sua mensagem e como a pode alcançar.

O marketing digital tem tudo a ver com o mundo online, pelo que trabalhar com uma agência significa que a sua presença online será desenvolvida e impulsionada de muitas maneiras.

É desta forma que, muitos membros da equipa se juntam, para definir uma estratégia clara e concisa, para construir a sua presença online: através das redes sociais, vídeos, landing pages, podcasts e outras plataformas online, com criação de conteúdos adequados e de qualidade.

O objetivo é fornecer as melhores classificações de pesquisa possíveis, proporcionando um ROI de marketing que não poderia obter de outra forma.

Trabalhar com uma equipa de marketing digital significa que irá obter mais clientes com maior conversão de leads, o que por conseguinte significa um crescimento da visibilidade e das vendas.

O que fazemos na UniK SEO?

Ao escolher uma agência de marketing digital, é necessário considerar os custos, a perícia, a experiência, a criatividade, e a concentração que a agência tem.

Na UniK SEO, somos uma agência de marketing digital especializada em aumentar o tráfego orgânico e pago dos principais motores de pesquisa (Google, Bing, Yahoo).

Prestamos serviços de Otimização de Motores de Pesquisa (SEO), Gestão de Pay-Per-Click (PPC), e Marketing de Conteúdos para a sua marca e website.

Auditamos a sua empresa e criamos estratégias de marketing digital personalizadas, fornecendo resultados mensuráveis para lhe trazer o maior ROI possível. Pode saber mais sobre todos os nossos serviços de SEO.

Somos uma equipa de profissionais internacionais motivados, que amam e compreendem a tecnologia e as suas inovações. O nosso objetivo é fornecer os melhores serviços e resultados possíveis para o seu website.

UniK SEO está sediada em Lisboa, Portugal, e trabalhamos com muitas marcas em todo o mundo. Atualmente prestamos os nossos serviços em inglês, francês, português, e espanhol.

A nossa equipa tem uma forte experiência em marketing digital empresarial e em regime de freelancer e, orgulhamo-nos de mostrar uma vasta experiência, bem como de registos de desempenho, marketing de afiliação e de conteúdo, SEO, PPC para serviços digitais, E-Commerce, e marcas.

Também construímos fortes relações com os nossos parceiros de media, o que é uma grande ferramenta a ter em consideração, quando se desenvolve uma estratégia de Link Building.

SEO para Sex Shop

Já sentiu como se estivesse a travar uma batalha perdida com o marketing para sex shop?

Não é segredo hoje em dia que o SEO é um pré-requisito fundamental para qualquer intenção comercial de sucesso.

Independentemente de vender donuts ou em dildos, ainda precisa de aparecer tão proeminentemente quanto possível nos rankings da SERP. Caso contrário, será ultrapassado e superado pela concorrência.

O problema é que quando se trata de marketing digital para sex shop (em termos gerais), também tem de lidar com os tipos de diretrizes de publicidade estabelecidas que podem dificultar saber por onde começar.

É pouco provável que os editores pestanejem só de pensar em distribuir anúncios para a Disney Movies – DVDs pornográficos e coisas do género, sendo um assunto completamente diferente.

Como tal, encontra-se numa posição em que sabe que precisa de trabalhar SEO para a sua sex shop online, mas não tem ideia por onde começar.

Mas, embora seja verdade que o SEO e o marketing para sex shop são pelo menos ligeiramente diferentes do “convencional”, isto não significa que assegurar e manter uma vantagem competitiva precisa de ser difícil.

A beleza do SEO moderno

Os motores de pesquisa como o Google existem por uma razão e por uma única razão – para gerir o tráfego online no caminho dos sites e serviços mais apropriados.

Neste momento, 95% de todo o tráfego online (mobile + desktop) é dirigido pelos principais motores de pesquisa. Só o Google lida com cerca de 78% das pesquisas em desktop e cerca de 93% em mobile.

Quota de Mercado do motor de pesquisa Google – Mobile (smartinsights.com)

E, quando o público adulto está atento às lojas de sexo e afins, utiliza o Google como qualquer outra pessoa.

A forma como o Google lida com as consultas de pesquisa hoje em dia é mais sofisticada e, na verdade, mais liberal do que alguma vez foi.

Se procurar por ursos de peluche e chocolates, é exatamente isso que vai encontrar. Se procurar por anéis penianos ou vibradores, é isso que lhe será mostrado.

Contornar as convenções e regulamentos tradicionais sobre publicidade pode ser complicado – a otimização dos motores de pesquisa é uma história completamente diferente.

Quando pensa nisso, publicar anúncios, imagens, blogues ou qualquer coisa de adulto limita-o a plataformas muito específicas.

Em consequência, a exposição dos seus produtos, serviços e negócios em geral é ainda mais limitada.

A diferença com o SEO adulto é que tecnicamente não vai atrás de pistas. Se acertar em cheio com os termos de pesquisa corretos, todas as pistas no mundo irão seguir o seu caminho.

SEO estratégico para Sex shop

É claro que compreender a importância e o potencial valor do SEO para sex shop é muito bom. Mas também é preciso considerar, como se pode ganhar vantagem competitiva sobre os seus rivais.

Afinal, com milhões de sex shops online a competir pelo mesmo negócio, é inevitável que muitos já estejam a concentrar-se fortemente em fazer SEO para a sua respetiva sex shop.

A solução… bem, infelizmente, não existe um método rápido, de “silver-bullet” para ascender imediatamente ao topo do ranking.

No entanto, é evidente que quanto mais cedo começar a concentrar-se na estratégia de SEO, mais rapidamente começará a ver resultados.

Não se iluda – classificar de forma proeminente as palavras-chave mais óbvias e competitivas é sempre difícil.

Pelo contrário, concentre os seus esforços em termos ou questões mais específicas e terá muito mais hipóteses de ganhar volume de procura.

Por exemplo, poderia concentrar-se em termos como “Como atingir um orgasmo usando um brinquedo sexual” ou “Como escolher o vibrador perfeito”, para atrair aqueles que procuram conselhos e apoio genuínos.

Muito mais eficaz e viável do que concentrar-se em termos amplos como “Grande vibrador” ou “Sex shop online“.

Um dos maiores erros cometidos por muitos empresários é o de simplesmente lançarem a sua rede demasiado larga/ampla, em vez de aperfeiçoarem a sua abordagem para se concentrarem em termos e frases mais específicos e relacionados com produtos exclusivos..

Um recurso para todos os sentidos

Se alguma vez existir o segredo para o sucesso do SEO para sex shop, seria este:

Concentrar-se na criação de um recurso de valor global, em vez de uma máquina de venda automática online.

Quando se pensa nisso, todos os produtos que se oferecem atualmente podem provavelmente ser comprados noutro local. Podem até estar disponíveis noutro lugar a um preço mais baixo. 

Como tal, o que traz clientes ao seu website e os faz voltar, é o valor e experiência que oferece que vai para além dos produtos em si.

Mensagens de blogues, tutoriais, notícias da indústria, mensagens de convidados, vídeos, artigos úteis e assim sucessivamente – todos os tipos de conteúdo que o Google e os restantes motores de pesquisa têm em conta quando atribuem posições SERP.

Se simplesmente não tiver tempo e/ou inclinação para lidar manualmente com todas essas responsabilidades, a procura por um consultor de SEO é altamente recomendada.

Quais as melhores redes sociais para investir?

O objetivo de uma empresa é captar a atenção dos consumidores para os bens e serviços que coloca à venda. Isto é uma verdade insofismável.

Este processo de atração e sedução foi sendo aperfeiçoado ao longo da história num jogo de equilíbrios. De um lado da balança, encontram-se a tecnologia, a criatividade e os meios financeiros que as empresas detêm em cada momento histórico. Do outro, o perfil do público-alvo a que se destina.

Hoje em dia, o fiel desta balança é o digital. O consumidor comunica e compra online e as empresas seguem-lhe o rasto até uma “praça” chamada redes sociais. Aqui, onde muito para lá da fogueira de vaidades que por vezes a alimenta, se encontra o ecossistema ideal para que a comunicação entre empresa e cliente se processe.

Para se ter uma ideia do potencial comunicacional de uma rede social, basta passar o olhar pelos milhares de milhões de utilizadores que Facebook, YouTube ou Instagram partilham. Assim, se percebe que qualquer estratégia de marketing empresarial em pleno séc. XXI tem, obrigatoriamente, que passar por uma presença ativa numa das redes sociais existentes.

Redes sociais mais utilizadas no mundo – Jan 2020 (wearesocial.com)

Porquê investir em redes sociais?

À cabeça, e como acabamos de referir, o número de pessoas com perfil ativo nas redes sociais é, por si só, razão suficiente para que uma empresa aposte neste canal. São muitos milhões de potenciais clientes, 3,48 mil milhões de utilizadores ativos, que não se devem perder.

Número de utilizadores activos em redes sociais – Jan 2020 (wearesocial.com)

Para além deste elemento óbvio, a KPI (ARPU – receita média por utilizador), a taxa de retenção dos utilizadores e o tempo diário que estes despendem no uso das plataformas de redes sociais está a aumentar, tornando o investimento em marketing digital direccionado, personalizado e segmentado para este público não só um investimento frutuoso, como uma fonte de receita importante para as organizações.

O que é Marketing de redes sociais?

Como afloramos no parágrafo anterior, o marketing digital para redes sociais é a “cola” que une quem oferece (empresa) a quem procura (consumidor). Esta “ponte de contacto” é apenas o primeiro objetivo.

Depois de criado o “laço” com os potenciais clientes, a segunda fase é marcada pelo “burilar” do produto ou serviço a comunicar ao público no intuito de o tornar mais atrativo e “necessário” aos olhos de quem se pretende cativar.

Esta “caça” ao seguidor e posterior conversão deste em cliente não é um processo imediato. Consegui-lo exige tempo e uma estratégia de marketing de redes sociais dirigida à natureza específica de cada empresa.

Da mesma forma que o Facebook não é igual ao Twitter ou ao LinkedIn, utilizar as redes sociais como estratégia de marketing deve obedecer ao perfil de consumidor e às ferramentas que cada uma das redes existentes fornece.

Quais as melhores redes sociais para investir?

Não existe aquilo a que se possa chamar com toda a propriedade “melhor rede social”. Investir em redes sociais é um processo que tem sempre por base a natureza da empresa, produto/serviço que fornece, linguagem que pretende utilizar na comunicação e público-alvo.

Por exemplo, o Facebook ou o Instagram, ao possibilitarem uma comunicação direta com o consumidor, afirmam-se como óptimos canais de divulgação e branding favorecendo empresas que operam no formato B2C (business to client).

Em contraponto, pela natureza mais profissional e por ser frequentada por “decisores”, o LinkedIn é a mais indicada para empresas no formato B2B (business to business), enquanto para empresas de base tecnológica o Twitter toma a dianteira.

Esta é uma definição generalista, claro está. Os públicos são multidisciplinares e dividem-se por várias redes sociais em simultâneo.

De igual modo, não é despiciendo pensar que uma empresa diversifique as redes em que está presente de modo a alargar o seu próprio potencial comunicacional.

Se a isto juntarmos diferentes técnicas de marketing – SEO e marketing de conteúdo, por exemplo, temos um bolo denominado de estratégia integrada.

Estratégia integrada

A comunicação integrada de marketing (CIM) é o conjunto de ações que garantem a consistência e coerência da comunicação de uma empresa com o público-alvo.

Por outras palavras, trata-se de uma padronização de linguagem que visa estabelecer o alinhamento em diferentes canais de interação.

Ao desenvolver uma comunicação integrada, a organização empresarial vai estar presente em múltiplas redes sociais, sem que isso a faça perder o seu cunho identitário, e utilizar esses diversos canais para recolher informações junto de públicos diversos, melhorar o seu produto, optimizar o atendimento e, principalmente, vender mais.

Quando falamos em múltiplos canais em interligação, podemos ficar com a impressão de que a mensagem da empresa será exaustiva para os consumidores, mas é precisamente o contrário.

Numa estratégia de marketing digital integrada, que nunca é invasiva, a mensagem é diluída sendo absorvida pelo consumidor de forma mais agradável.

Montar uma estratégia deste tipo exige conhecimento técnico que as empresas podem encontrar numa agência de marketing digital como a Unik SEO.

O papel da Agência de Marketing Digital na estratégia?

Focada na especificidade de cada negócio, a agência de marketing digital especializada em SEO oferece um alargado leque de serviços de marketing nas redes sociais que, entre outras coisas, define um plano de redes sociais em que são analisadas as métricas e KPI da empresa de forma a melhorar a reputação da marca.

Concepção de uma estratégia de conteúdo personalizada e calendário editorial para as contas das redes sociais (seguindo a imagem de marca, valores e cultura da organização), gestão de contas de redes sociais, criação de conteúdo direccionado ou ações especiais de marketing social direcionadas para envolver os fãs, reter utilizadores e aumentar o número de possíveis clientes, fazem igualmente parte dos serviços.

Ao fazer-se valer de uma equipa de SEO orientada para os resultados, a Unik SEO põe em marcha um plano de SMM (social media marketing) ou marketing nas redes sociais, que ajuda as empresas a terem feedback direto dos utilizadores e clientes, motivo pelo qual a marca começa a ter um aspeto mais pessoal e interativo.

O “compartilhamento e interação” são partes essenciais das redes sociais e oferecem aos seus seguidores a oportunidade de questionar ou reclamar e, ao mesmo tempo, de sentirem que são ouvidos e tidos em consideração.

Além disso, através das redes sociais e da comunicação com os utilizadores, também está a gerir um aspeto chave do negócio: a gestão da relação com o cliente ou CRM – Customer Relation Management (ou neste caso, CRM Social).

Entre múltiplos exemplos, as campanhas de PPC têm um impacto direto no tráfego e oferecem ao website da empresa uma exposição imediata muito superior.

O Marketing de PPC (Pay-Per-Clique) é uma forma de criar e mostrar os anúncios de uma empresa aos utilizadores que têm a maior probabilidade de se interessar pelos produtos ou serviços que a empresa está a vender.

Esta ferramenta é extremamente útil quando falamos de redes sociais.

Pode ter interesse em: SEO ou Google Ads? Ou ambos?

Anunciar nas Redes Sociais

Aproveitar todo o potencial de redes sociais como o Facebook ou o Instagram implica investir em anúncios pagos através das funcionalidades Facebook Ads e Instagram Ads.

Como funciona o Facebook Ads?

Esta ferramenta funciona com base no micro-targetting que, após reunir as várias informações pessoais disponíveis no perfil dos utilizadores do Facebook, direciona os seus anúncios para o público mais passível de comprar alguma coisa à empresa.

Como funciona o Instagram Ads?

Os anúncios criados no Instagram possuem o formato típico de fotos ou vídeos. A única diferença entre uma foto ou vídeo comum e uma foto ou vídeo patrocinado é a tag “patrocinado” que virá a acompanhar a fotografia (canto superior direito).

Para além de patrocinar determinada foto ou vídeo, as empresas podem, por intermédio de CTAs (call-to-action), redirecionar o utilizador para um link que esteja relacionado com a organização propriamente dita ou com um produto/serviço especifico que ela disponibilize.

Qualquer que seja o resultado que uma dada empresa deseje obter, as estratégias de SEO para redes sociais que a Unik SEO disponibiliza, estão pensadas para trazer uma série de vantagens para as empresas.

Vantagens em investir nas redes sociais

  • Aumento das suas vendas;
  • Construção de autoridade;
  • Redução dos custos com marketing (o marketing digital com o apoio de estratégias de redes sociais é muito mais barato e capaz de gerar um alcance muito maior com o mesmo orçamento);
  • Geração de leads e captação de potenciais clientes;
  • Aumento do tráfego do website através das Redes Sociais;
  • Aumentar da visibilidade e da popularidade;
  • Capacidade de mensuração (poder de mensuração de campanhas e análise de retorno sobre o investimento- ROI);
  • Lealdade para com a marca.

Como ficar em primeiro lugar no Google?

Objetivo: aparecer nos primeiros resultados de pesquisas no Google

Se o objetivo é a obtenção da melhor posição possível de determinada página nos resultados de pesquisa dos motores de pesquisa – Search Engine Results Pages, conhecidos como SERP, saiba que colocar o site em primeiro lugar no Google não é uma ciência exata. Requere conhecimento e experiência.

Em linguagem corrente, esta técnica e os seus objetivos explicam-se de forma fácil. Quando alguém procura por um determinado termo de pesquisa (keyword) num motor de pesquisa, após alguns instantes os resultados dessa pesquisa são apresentados de forma ordenada pela ordem da importância que o Google lhes atribui.

O trabalho de um consultor de SEO consiste em colocar a página que está a ser trabalhada na melhor classificação possível na página de resultados de pesquisa dos motores de pesquisa (SERP). A expectativa é que esta possa vir a ter mais tráfego orgânico e que esse tráfego orgânico seja sinónimo de conversões, isto é, vendas.

O SEO não é uma ciência exata e o objetivo de colocar o site em primeiro lugar no Google não se atinge através da execução linear de uma fórmula matemática. O ranking de determinada página é influenciado e interliga-se com uma série de variáveis. Em cima dessas, conhecendo-as bem, é possível trabalhar e dar resposta a esse objetivo. Isto tendo sempre em perspetiva que o SEO é uma corrida de fundo e não de 100 metros. A pergunta “Como ficar em primeiro lugar no Google?” não tem apenas uma resposta.

O SEO é um processo de trabalho assente em várias técnicas, estratégias e soluções, implementada por especialistas em inbound marketing cuja análise é suportada por evidências, dados e métricas. São aliás os números que nos dizem que 90% dos cliques ocorrem quando se está nos primeiros links da primeira página de resultados dos motores de pesquisa. A partir da leitura desses dados podemos inferir a enorme importância do SEO na atualidade.

Então, como aparecer em primeiro lugar no Google? Para pensar em como colocar o site em primeiro lugar no Google, há que começar por analisar o desempenho da sua página. Há dois tipos de otimizações, que operam em conjunto, embora em momentos diferentes: SEO On-Page e SEO Off-Page no qual o Link Building faz parte.

SEO On Page

No SEO On-Page são analisados dados como o código fonte, as tags, as meta-tags, o alt text, as palavras-chave e a otimização dos urls. Para a estrutura de determinada página ser considerada boa, contribui também ter uma Arquitetura da Informação clara. Para além disso, os conteúdos, a Experiência do Utilizador, a Acessibilidade, a velocidade de carregamento e a otimização para dispositivos móveis são analisados a fundo. Olhe criticamente para o seu produto digital e, consequentemente, para a sua marca, estratégia e conteúdos.

SEO Off-Page

O SEO Off-Page é outro momento importante no sentido de otimizar o seu website para aparecer em primeiro lugar no Google, ou no melhor resultado possível. O SEO Off-Page disseca a quantidade e, sobretudo, a relevância dos links que apontam para a sua página. Neste ponto entra a estratégia de Link Building, que quem quer aparecer em primeiro lugar no Google terá obrigatoriamente de ter em conta. E se o marketing de conteúdo é importante na evolução dessa estratégia, aqui devemos também ter em conta outras técnicas de inbound marketing como o Email Marketing e o trabalho com Redes Sociais.

Como ficar em primeiro lugar no Google: dicas básicas

Não há um plano ideal para saber como ficar em primeiro lugar no Google, mas uma série de dicas que pode experimentar para a sua página aparecer em primeiro lugar no Google, ou começar a trabalhar nesse sentido.

Pode começar por utilizar a Google Search Console para extrair alguns dados para análise. Entre estes, estão, por exemplo, os termos de pesquisa que levam os utilizadores à sua página. Muito importante é também ter o seu site desenhado e preparado para proporcionar uma boa experiência mobile. Aliás, lembre-se que a partir de Março de 2021, a indexação Mobile First do Google entrará em vigor definitivamente. Quer isto dizer que a versão mobile do seu site será aquela que vai contar para o Google.

Indispensável é também produzir bom conteúdo para as suas redes sociais e para as suas páginas. Isso tem um efeito dois em um: confere notoriedade à sua marca e atrai visitas para o seu website.

Quando se faz a pergunta “como ficar em primeiro lugar no Google?” é importante retorquir relembrando o papel das keywords – palavras-chave. SEO não são apenas keywords. Por isso, quando se pensa em como colocar o site em primeiro lugar no Google deve-se, inevitavelmente, pensar nestas.

Como? Bom, pode construir um universo de kewywords relevantes para a sua página (isto é, negócio), em particular long-tail keywords. Estas têm menos tráfego associado do que keywords genéricas e populares, mas menos dificuldade de se imporem a longo prazo. Sendo mais específicas, são também mais relevantes para o seu nicho, aproximando os seus clientes do seu produto ou serviço, e de uma possível conversão.

Para trabalhar nesse sentido, pode usar o Google Trends ou uma outra ferramenta gratuita. Se preferir, pode também optar por trabalhar com tráfego não-orgânico e recorrer às campanhas de anúncios Google Ads, ou então recorrendo a ambos: SEO e Google Ads.

Marketing SEO: porque deve ser incluído na sua estratégia digital?

A importância do Marketing SEO

Search Engine Optimization ou Otimização para Motores de Pesquisa é o processo que visa aumentar em quantidade e qualidade o tráfego orgânico, isto é, não pago, para determinado website, através de uma série de técnicas, processos e estratégias para melhorar a posição deste nos resultados dos motores de pesquisa.

A nossa viagem pelo universo SEO começa aí, imaginando um utilizador que insere uma palavra-chave em função daquilo que procura. Depois, os crawlers – como os bots do Google – fazem o seu trabalho pelas milhões de páginas disponíveis na internet, analisando-as através de determinados parâmetros – como as guidelines de boas práticas do Google, para dar novamente o exemplo da tecnológica norte-americana – conduzindo um crawling pelos websites e fazendo, depois, a respetiva indexação.

É na resposta a esse movimento algorítmico que o SEO se fixa, visando, através de uma série de procedimentos, melhorar o rankeamento de determinados websites nos resultados dos motores de pesquisa. Há dois tipos de SEO: SEO on-page e SEO off-page ou Link Building. O primeiro consiste em tudo aquilo que se pode fazer dentro de determinado website para melhorar o seu ranking nos motores de pesquisa. O segundo, consiste em tudo aquilo que deve ser feito noutros websites que podem influenciar esse mesmo ranking – nomeadamente, os links.

Marketing SEO: em que consiste?

O Marketing SEO consiste em múltiplas estratégias, ações e práticas que têm como objetivo melhorar a posição de cada website nos motores de pesquisa.

Marketing SEO: o que é?

Dados Estatísticos de SEO

  • De acordo com a consultora Accenture, cerca de 94% dos clientes B2B dizem realizar uma pesquisa online antes de fazer uma compra;
  • Relativamente ao setor B2C, há relatórios que indicam que o E-Commerce pode atingir um volume de negócios de 4.5 triliões de dólares em 2021, representando 17 % das vendas de retalho, o dobro do que representava em 2015;
  • As procuras locais também são relevantes. Um relatório da LSA-Acquisio afirma que 75% das procuras mobile resultam numa visita à loja em causa em 24 horas. 30% destas resultam numa compra;
  • Segundo algumas estatísticas, 50 % dos marketeers acreditam que o SEO é a estratégia de marketing digital mais eficiente e vantajosa.

As vantagens do Marketing SEO

Os resultados do marketing SEO são visíveis a longo prazo, mas há várias etapas no processo de onde se extraem várias vantagens. Vejamos:

1. Crescimento da marca

O crescimento da marca ajuda a criar empresas fortes. Quando reconhecemos imediatamente um nome, um logo ou um slogan, isso significa que essa empresa está um passo à frente. Estar no topo dos resultados dos motores de pesquisa é marcar uma presença afirmativa no mercado. Os consumidores ficarão mais familiarizados com a sua marca, produto ou serviço.

2. Melhorar posições no SERP (Search Engine Results Page)

Segundo o Advanced Web Ranking, as três posições iniciais no SERP recebem um total de 60 % dos cliques. Quanto melhor ranking o seu site tiver, melhores resultados obterá. O Marketing SEO ajuda a comunicar melhor o seu website com os algoritmos dos motores de pesquisa. Os resultados são um reconhecimento do Google do valor do seu website e da sua empresa. Como um selo digital de qualidade e confiança para os consumidores.

3. Mais confiança, mais tráfego

Quanto melhor ranking tiver o seu site, maiores serão as possibilidades de aumentar o seu tráfego orgânico. O Marketing SEO, através da otimização da sua página – com títulos e meta-descrições, por exemplo – torná-la-á mais clara aos olhos dos consumidores nos resultados dos motores de pesquisa, tendo assim mais possibilidades de os persuadir a clicar. O resultado é simples: mais tráfego e visitas.

4. Mais tráfego, mais leads

O Marketing SEO irá aumentar a percentagem de conversão do tráfego em leads. Isto porque o SEO se foca em perceber o que os clientes querem – e em, depois, preencher essas necessidades. Criar uma estratégia de SEO forte passa por conhecer os utilizadores e desenhar um produto digital que corresponda ao que estes pretendem. Com o Marketing SEO é possível analisar o funil de vendas e determinar o que os utilizadores querem a cada momento da sua jornada, sendo possível fazer um mapeamento e criar conteúdo mais eficiente para cada uma dessas ocasiões. Resultado? Mais conversões.

5. Crescimento do negócio além-fronteiras

Com o Marketing SEO poderá alargar o alcance da sua empresa para lá da sua região. A sua página pode estar classificada nos SERP para diferentes localizações. Se o conteúdo for relevante irá aparecer, independentemente da localização dos utilizadores. Com o SEO, o espaço para crescer é ilimitado.

SEO ou Google Ads? Ou ambos?

São mais de 1,2 triliões de procuras na web todos os anos, correspondentes a 3,5 biliões de pesquisas diárias e 40.000 pesquisas por segundo. É este o potencial do Google.

Assim, estar presente nas páginas de resultados deste motor de pesquisa faz parte da estratégia de Inbound Marketing de qualquer agência de marketing digital para qualquer cliente, seja qual for o seu produto ou serviço.

Em marketing digital e no caminho para o objetivo de obter mais tráfego para um website, a presença nas páginas de resultados dos motores de pesquisa pode ser obtida de forma orgânica (SEO) ou paga (Google Ads).

Haverá uma técnica melhor do que a outra? Quais as diferenças entre as duas? Será que se podem conjugar?

O que é o SEO?

Antes de mais, as definições. Search Engine Optimization (SEO) ou Otimização para Motores de Pesquisa é o processo que visa aumentar a quantidade e qualidade de tráfego orgânico para um determinado website, através de uma série de processos, estratégias e técnicas para melhorar a posição do website na página de resultados dos motores de pesquisa.

O que é o SEO?

O que é Google Ads?

Quanto ao Google Ads ou campanhas CPC, permite ao interessado a exibição de anúncios pagos baseados em palavras-chave, tanto nas páginas de resultados do motor de pesquisa como nas respetivas redes de display – como, por exemplo, o Gmail.

Os resultados do Google Ads surgem de forma rápida, visto que não dependem dos processos de crawling e indexação que os bots do Google fazem pela internet (como o SEO depende).  Há duas formas de pagar o Google Ads: ou através de custo por clique (CPC) ou de custo por mil impressões (CPM).

O Google Ads opera apenas na rede da gigante tecnológica norte-americana e em sites que usam o Google Adsense. Os seus anúncios aparecem no topo da página de resultados do motor de pesquisas.

O que é Google Ads?

Com o Google Ads é mais fácil de calcular o Retorno Sobre o Investimento (ROI), visto que se pode medir de forma ágil o ganho obtido por cada anúncio em função do que se gastou com este. Os resultados são imediatos, já que após o momento em que a campanha é criada, o tráfego começa logo a aparecer.

Como em qualquer plataforma de anúncios pagos, no Google Ads pode-se segmentar os anúncios para que estes apareçam apenas, por exemplo, para utilizadores com maior potencial de conversão – como as pessoas que estejam à procura de determinado produto ou serviço.

Estratégia de SEO e Google Ads

Numa estratégia de Google Ads, que pode fazer sentido a curto prazo, o investimento poderá ser maior.

Quanto ao processo de SEO, demora mais tempo a implementar, mas tem desde logo uma vantagem óbvia: aponta a resultados orgânicos e não pagos. Logo, o investimento é menor.

Outra vantagem – que não é pequena – é que os utilizadores confiam mais em resultados orgânicos do que nos que são pagos. Estima-se que mais de 80% dos utilizadores confiem mais nos resultados orgânicos do que nos pagos.

Será que SEO e Google Ads são assim tão antagónicos? À primeira vista, parece que sim. Mas há mais para além da primeira vista.

SEO e Google Ads: são complementares?

As duas estratégias podem ser complementares. SEO é sinónimo de cliques orgânicos a longo prazo. Google Ads pode ter retorno imediato, se bem aplicado. Mas se precisa de ter resultados mais rápidos, pode, enquanto prepara e implementa uma estratégia SEO, investir em links patrocinados do Ads.

Futuramente será sempre importante ter um bom posicionamento orgânico, até para que o seu site continue bem colocado nas páginas de resultados dos motores de pesquisa quando a sua campanha paga terminar. Assim, combina o melhor dos dois mundos.

Outro exemplo prende-se com a utilização de palavras-chave que, tendo volume, devem ser deixadas de fora de uma campanha de Ads porque não são lineares para este formato, mas podem ser aproveitadas na produção de conteúdos ligados à estratégia SEO de back-links a desenvolver.

Da mesma forma, poderá usar o Google Ads para identificar a efetividade na conversão de title tags e meta descriptions e transferi-las para o seu uso em SEO – basta anotar aquelas que apresentam melhor conversão nos resultados.

É assim possível aproveitar os dados oferecidos pelo Google Ads para o ajudar a melhorar a otimização SEO dos seus conteúdos em motores de pesquisa. Pode também aproveitar esta combinação de estratégias para alinhar os guias de estilo, tom de voz, léxico e semântica dos seus anúncios com a dos seus conteúdos, quer SEO, quer do seu blogue ou redes sociais, dando identidade à sua marca.

Nada se perde e tem tudo a ganhar.

Google anuncia: Mobile a partir de Março de 2021 será mandatário

O Search Engine Optimization (SEO) envolve vários processos para melhorar o ranking de determinado website na página de resultados dos motores de busca (Search Engine Results Page, SERP) do Google ou outros motores de pesquisa. A jusante dessa otimização, há que entender o que fundamenta esse rankeamento, para o poder melhorar. Esse rankeamento é alavancado em quatro momentos.

Ranking: 4 momentos-chave

Primeiro, o crawling, também conhecido por “rastreamento” em português, no qual os bots do Google seguem os links e rastreiam as páginas da internet.

De seguida, é feita a indexação, de acordo com os resultados do anterior processo de crawling. Estes são armazenados nas máquinas do Google, formando um índice.

Depois, num terceiro momento, temos a busca propriamente dita. Isto é, quando alguém faz uma pesquisa no Google (por exemplo) e este, por sua vez, faz a sua pesquisa nas páginas do índice.

Por quarto e último, temos o rankeamento, momento em que as páginas no índice são analisadas e rankeadas, de forma a definir a sua posição na página de resultados do motor de busca (SERP).

Google John Mueller Mobile Index
Jonh Mueller (Webmaster Trends Analyst na Google)

Antes de 2016, o crawling e a indexação eram feitos pelos bots do Google como se estivessem a aceder a partir de um dispositivo desktop. Quer isto dizer que a versão a ser indexada e rankeada era aquela emanada dos computadores tradicionais. Mesmo que a pesquisa fosse feita a partir de um smartphone, os resultados nas primeiras posições das SERP eram baseados no ambiente desktop.

Mas o mundo mudou e o Mobile First Index Google chegou, agora de forma definitiva, depois de alguns anos de ensaios, testes e trabalho de campo. A gigante tecnológica norte-americana anunciou recentemente a chegada do Mobile First Index para Março de 2021. O lançamento estava previsto para Setembro deste ano, mas a pandemia veio complicar as contas da empresa sedeada em Mountain View, na Califórnia.

O que é o Mobile First Index?

Os índices do Google têm-se vindo a adaptar aos comportamentos dos utilizadores e o Mobile First Index Google é disso exemplo. O Mobile First Index Google já é um fator de rankeamento relevante há algum tempo, correspondendo às evidências – suportadas por dados – que comprovam a mudança de comportamento dos utilizadores.

Por exemplo, sabia que 3 em cada 5 pesquisas na internet são feitas através de dispositivos móveis? Quer isto dizer que o mobile já ultrapassou o desktop como ponto inicial para as buscas na internet.

Há ainda outro dado curioso, que nos diz que 77 % das pesquisas efetuadas com dispositivos móveis são feitas no trabalho ou em casa. Quer isto dizer que já não é só quando os utilizadores estão numa situação de mobilidade – na rua, por exemplo – que o mobile é o seu meio preferido. 

Segundo a Digital-Stats citada num artigo de Neil Patel, 75% das pesquisas mobile produzem pelo menos duas ações consequentes. Isto é, convertem.

(Fonte: https://neilpatel.com/blog/mobile-first-indexing/)

No mesmo artigo, é referido que a taxa de conversão situa-se nos 90%. De acordo com os dados revelados por Neil Patel, 9 em cada 10 pesquisas em aparelhos móveis resultam numa visita ou numa compra.

Finalmente, em 2016, o tráfego de dispositivos móveis (como os tablets e os smartphones) superou o tráfego oriundo de desktops. Nesse ano, o Google iniciou os testes de um novo tipo de indexação – e o Mobile First Index Google entrou em cena. Esta inovação sinalizou a resposta às mudanças de comportamento dos utilizadores, e também a crescente importância da Experiência do Utilizador para o Google.

Assim sendo, as versões dos websites desenhadas exclusivamente para desktops começaram a ser cada menos relevantes. Ao fim destes anos, a tendência tem agora uma data oficial. A partir de Março de 20021 o Mobile First Index Google será mandatório. Quer isto dizer que a versão do seu site dedicada aos dispositivos mobile – e não a versão para desktop – será aquela a ser indexada pelo motor de busca.

A mudança na indexação está a ser feita de forma gradual, mas na primavera do próximo ano, o seu site mobile ou site responsivo será a versão com que terá que se preocupar mais. O facto do site mobile ser o preferido do bot não significa que deixará de ser visualizado em ambiente desktop.

A questão é esta: o Google vai indexar a sua página baseando-se na forma como um smartphone vê a sua página. O índice será único e os momentos importantes – crawling, indexação, rankeamento – terão base nos dispositivos móveis. Do ponto de vista estratégico, convém dizer que a ascensão do site mobile como ponto de referência para o Google traz um convite implícito: se não mudou ainda, esta é a hora de mudar.

O que é um site mobile?

O que é um site mobile?

Atualmente, há dois tipos de sites que podem ser vistos em ambiente mobile: o site responsivo e o site mobile. O site responsivo adapta-se automaticamente ao dispositivo que o utilizador está a visualizar, ajustando-se ao tamanho de tela. De forma simples: o site será exibido da melhor forma para cada dispositivo.

O site mobile é desenhado especificamente para dispositivos móveis, como tablets ou smartphones, não sendo visualizado em computadores. O site mobile reconhece o dispositivo do utilizador e conduz o visitante ao site mobile, que funciona assim como um segundo site.

O que as empresas devem fazer para resolver esta situação?

Se o site da sua empresa foi criado pensando apenas na exibição em computador, se não é um site responsivo ou se não tem um site mobile, tenha o mês de março em mente. A partir daí, o Google irá indexar essa versão e, consequentemente, penalizar o seu rankeamento, visto que a páginas do seu site não são mobile friendly.

Para analisar o seu website pode consultar a ferramenta Google Testmysite da Think With Google. Outra ferramenta interessante disponibilizada pela Google é o Mobile-Friendly Test, que afere a resposta da sua página ao ambiente mobile.

No caso de pretender fazer um upgrade ao seu site, para um site mobile ou para um site responsivo, lembre-se de pensar em vários fatores. Deve, antes de mais, pensar em criar uma boa experiência mobile-first. Isto é, algo que tenha em conta, em primeiro lugar, a experiência do utilizador em ambiente mobile.

Se já tem um site mobile, com menos conteúdo do que a versão para desktop, inverta as prioridades. Mobilize os conteúdos – e os conteúdos que quer rankear – da versão desktop para o site mobile, adaptando-os naturalmente a este ambiente. De futuro, só os conteúdos mobile serão indexados e rankeados. Considere ainda:

  1. Verificar e otimizar a velocidade de carregamento das suas páginas;
  2. Utilize as Accelerated Mobile Pages (Páginas Aceleradas para Dispositivos Móveis), uma estrutura de página otimizada para mobile que carrega de forma mais ágil;
  3. Use dados estruturados e meta-tags nas duas versões (desktop e mobile);
  4. Confirme a eficácia do seu site mobile no Google Search Console, vendo como os bots do Google olham para a sua página;
  5. Produza conteúdo de qualidade nas duas versões;
  6. Foque-se no SEO Mobile.

Quer tornar a sua página num site mobile ou site responsivo, pronto para o Mobile First Index Google em Março de 2021?

Os Google Shopping Ads vão Aparecer Automaticamente no Google Images

Os utilizadores com shopping ads verão os seus anúncios passar a aparecer automaticamente no Google Images. A alteração é uma mais-valia para os clientes que utilizam Google Shopping Ads. A Google divulgou a mudança na passada semana, através de um e-mail para os utilizadores. As alterações entrarão em vigor até ao final de março.

O que mudou no Google Ads?

Até agora, se quisesse colocar os seus Google Shopping Ads no Google Images, teria de o fazer manualmente. Era necessário activar a Search Partner Network para que os anúncios aparecessem na pesquisa de imagens. Esta semana, no entanto, tomámos conhecimento de que este contexto será alterado no final de março. De agora em diante, os shopping ads aparecerão automaticamente no Google Images.

O que vai acontecer é que a secção de imagens do Google deixará de fazer parte da Search Partner Network para estar integrada na rede de pesquisa do Google. Isto faz com que não seja necessário activar a Search Partner Network. Uma vez que a secção de imagens vai passar a integrar a rede nuclear de pesquisa, os anúncios passam a aparecer automaticamente neste espaço quando os utilizadores pesquisarem keywords relevantes.

Que significa isto para os utilizadores com Google Shopping Ads?

Os Google Shopping Ads aparecerão automática e obrigatoriamente na página de imagens do Google. Não se trata de uma opção e não é possível desativar este processo.

Como resultado, a Google escreve no corpo do e-mail de anunciamento, os google ads das campanhas que não tenham de momento a Search Partner Network ativada passarão a aparecer no Google Images. A equipa da Google afirma que esta alteração trará tráfego mais qualificado aos sites dos utilizadores, assim como poderá aumentar o volume do tráfego. No e-mail, escrevem poderá resultar num aumento de tráfego de 3 a 10% a um CPC inferior e com taxas de conversão mais baixas. O que deverá acontecer, concretamente, é que o tráfego na Search Partner Network diminua, uma vez que esta rede deixará de contar com o tráfego da pesquisa de imagens. Consequentemente, o tráfego da pesquisa de imagens passará para a Search Network, cujo tráfego total sofrerá um aumento.

A UniK SEO é oficialmente certificada em Shopping Advertising. Oferecemos serviços especializados de assistência às campanhas de Google Shopping. Se pensa que o Shopping Advertising pode ser a estratégia adequada para o seu negócio, não hesite em pedir-nos uma análise SEO gratuita.