SEO para Sex Shop

Já sentiu como se estivesse a travar uma batalha perdida com o marketing para sex shop?

Não é segredo hoje em dia que o SEO é um pré-requisito fundamental para qualquer intenção comercial de sucesso.

Independentemente de vender donuts ou em dildos, ainda precisa de aparecer tão proeminentemente quanto possível nos rankings da SERP. Caso contrário, será ultrapassado e superado pela concorrência.

O problema é que quando se trata de marketing digital para sex shop (em termos gerais), também tem de lidar com os tipos de diretrizes de publicidade estabelecidas que podem dificultar saber por onde começar.

É pouco provável que os editores pestanejem só de pensar em distribuir anúncios para a Disney Movies – DVDs pornográficos e coisas do género, sendo um assunto completamente diferente.

Como tal, encontra-se numa posição em que sabe que precisa de trabalhar SEO para a sua sex shop online, mas não tem ideia por onde começar.

Mas, embora seja verdade que o SEO e o marketing para sex shop são pelo menos ligeiramente diferentes do “convencional”, isto não significa que assegurar e manter uma vantagem competitiva precisa de ser difícil.

A beleza do SEO moderno

Os motores de pesquisa como o Google existem por uma razão e por uma única razão – para gerir o tráfego online no caminho dos sites e serviços mais apropriados.

Neste momento, 95% de todo o tráfego online (mobile + desktop) é dirigido pelos principais motores de pesquisa. Só o Google lida com cerca de 78% das pesquisas em desktop e cerca de 93% em mobile.

Quota de Mercado do motor de pesquisa Google – Mobile (smartinsights.com)

E, quando o público adulto está atento às lojas de sexo e afins, utiliza o Google como qualquer outra pessoa.

A forma como o Google lida com as consultas de pesquisa hoje em dia é mais sofisticada e, na verdade, mais liberal do que alguma vez foi.

Se procurar por ursos de peluche e chocolates, é exatamente isso que vai encontrar. Se procurar por anéis penianos ou vibradores, é isso que lhe será mostrado.

Contornar as convenções e regulamentos tradicionais sobre publicidade pode ser complicado – a otimização dos motores de pesquisa é uma história completamente diferente.

Quando pensa nisso, publicar anúncios, imagens, blogues ou qualquer coisa de adulto limita-o a plataformas muito específicas.

Em consequência, a exposição dos seus produtos, serviços e negócios em geral é ainda mais limitada.

A diferença com o SEO adulto é que tecnicamente não vai atrás de pistas. Se acertar em cheio com os termos de pesquisa corretos, todas as pistas no mundo irão seguir o seu caminho.

SEO estratégico para Sex shop

É claro que compreender a importância e o potencial valor do SEO para sex shop é muito bom. Mas também é preciso considerar, como se pode ganhar vantagem competitiva sobre os seus rivais.

Afinal, com milhões de sex shops online a competir pelo mesmo negócio, é inevitável que muitos já estejam a concentrar-se fortemente em fazer SEO para a sua respetiva sex shop.

A solução… bem, infelizmente, não existe um método rápido, de “silver-bullet” para ascender imediatamente ao topo do ranking.

No entanto, é evidente que quanto mais cedo começar a concentrar-se na estratégia de SEO, mais rapidamente começará a ver resultados.

Não se iluda – classificar de forma proeminente as palavras-chave mais óbvias e competitivas é sempre difícil.

Pelo contrário, concentre os seus esforços em termos ou questões mais específicas e terá muito mais hipóteses de ganhar volume de procura.

Por exemplo, poderia concentrar-se em termos como “Como atingir um orgasmo usando um brinquedo sexual” ou “Como escolher o vibrador perfeito”, para atrair aqueles que procuram conselhos e apoio genuínos.

Muito mais eficaz e viável do que concentrar-se em termos amplos como “Grande vibrador” ou “Sex shop online“.

Um dos maiores erros cometidos por muitos empresários é o de simplesmente lançarem a sua rede demasiado larga/ampla, em vez de aperfeiçoarem a sua abordagem para se concentrarem em termos e frases mais específicos e relacionados com produtos exclusivos..

Um recurso para todos os sentidos

Se alguma vez existir o segredo para o sucesso do SEO para sex shop, seria este:

Concentrar-se na criação de um recurso de valor global, em vez de uma máquina de venda automática online.

Quando se pensa nisso, todos os produtos que se oferecem atualmente podem provavelmente ser comprados noutro local. Podem até estar disponíveis noutro lugar a um preço mais baixo. 

Como tal, o que traz clientes ao seu website e os faz voltar, é o valor e experiência que oferece que vai para além dos produtos em si.

Mensagens de blogues, tutoriais, notícias da indústria, mensagens de convidados, vídeos, artigos úteis e assim sucessivamente – todos os tipos de conteúdo que o Google e os restantes motores de pesquisa têm em conta quando atribuem posições SERP.

Se simplesmente não tiver tempo e/ou inclinação para lidar manualmente com todas essas responsabilidades, a procura por um consultor de SEO é altamente recomendada.

Apple Search Engine: um rumor tornado realidade?

As recentes alterações no Spotlight Search no iOS e iPad 14 beta e a actualização e significativo aumento da capacidade de rastreamento do Applebot são indicadores de que algo pode estar a ser cozinhado na Apple.

Exemplo de Registo de Pesquisa AppleBot (serpwoo.com)

Ao longo dos últimos anos, as notícias foram dando conta de que a Google pagaria milhares de milhões de dólares à Apple para permanecer como motor de pesquisa padrão no Safari disponibilizado pelos sistemas iOS, iPadOS e macOS.

O acordo garantiria que, a menos que alterassem manualmente as preferências de pesquisa, os utilizadores do iPhone, iPad e Mac estariam “obrigados” a efetuarem as suas pesquisas no Google aquando do uso do Safari.

Receitas brutas da aplicação Google Play e App Store a nível mundial – 1º semestre 2019 (appleinsider.com)

Contudo, este acordo pode estar a chegar ao fim. Em julho de 2020, a Reuters noticiava que a U.K. Competition and Markets Authority (Autoridade da Concorrência e Mercados do Reino Unido) estaria prestes a colocar um ponto final neste acordo.

É opinião generalizada entre os analistas que os acordos entre estes dois gigantes, dado o impacto das pré-instalações e padrões em dispositivos móveis e a significativa quota de mercado da Apple, criam uma barreira substancial à entrada de novos players no mercado ou crescimento dos existentes afetando sobremaneira a livre e justa concorrência entre os motores de pesquisa nos dispositivos móveis.

Se os reguladores do Reino Unido agirem, isto poderá provocar um efeito bola-de-neve na União Europeia que, já de si, tem um longo histórico de processos contra o Google por comportamento anticoncorrencial.

Os reguladores europeus podem forçar a Apple a remover o Google como motor de pesquisa padrão e fazer com que os internautas escolham qual o mecanismo que desejam utilizar ao iniciarem uma pesquisa no Safari.

Que razões podem levar a Apple a lançar um motor de pesquisa?

A pressão regulatória, o contencioso que envolve o Google e o amadurecimento dos assistentes pessoais Siri e iCloud apresentam-se como uma janela de oportunidade que a Apple pode aproveitar para criar e lançar um motor de pesquisa. Os sinais de que isso pode estar prestes a acontecer intensificam-se:

  • a Apple, empresa mas valiosa do mundo, não precisa do dinheiro do Google;
  • a Apple está a investir fortemente em I&D conforme se percebe pelo número crescente de ofertas de emprego para engenheiros de investigação e desenvolvimento. Percorrendo a lista de vagas de emprego percebe-se que a empresa procura incorporar na sua estrutura especialistas em IA (Inteligência Artificial), ML (Machine Learning) ou PNL (Programação Neurolinguística);
  • sistemas iOS e iPadOS 14 beta contornam a Pesquisa Google com a Pesquisa Spotlight

Apesar de não existirem certezas absolutas a se a Apple ainda utiliza o Bing, uma vez que os resultados são rotulados apenas como sugestões da Siri, não parecem existir dúvidas que a Apple começou a retornar resultados de pesquisa no Spotlight Search contornando, desta forma, o Google.

Em julho de 2020, a Apple publicou uma atualização significativa na sua página de suporte “Sobre o Applebot” que incorpora adições como:

  • verificação de tráfego;
  • robots.txt expandido;
  • processamento de páginas similares ao Google;
  • adição  de uma secção sobre rankings de pesquisa e os vários fatores que a afetam.

Estas novas adições são muito semelhantes aos dados que o Google fornece a webmasters e SEOs.

O que ganha a Apple com o lançamento de um motor de pesquisa?

Um motor de pesquisa Apple terá, provavelmente, uma aparência e funcionamento um pouco diferentes de congéneres seus como o Google, o Bing ou o DuckDuckGo.

É um dado histórico: a Apple gosta de fazer as coisas à sua maneira e o mais provável é que o seu motor de pesquisa tenha um propósito mais alargado do que apenas exibir anúncios e minerar dados.

Com base nas várias descrições de propostas de emprego trabalho da Apple e na contínua consolidação dos resultados da web das aplicações no Spotlight Search, um mecanismo de pesquisa da Apple provavelmente funcionará como um hub de dados altamente personalizado.

Apesar das semelhanças com o Google Assistente em sistemas Android, o motor de pesquisa Apple não terá (inicialmente) anúncios, será completamente privado e promoverá uma integração significativamente mais profunda com o OS.

Através da utilização de IA e de ML, a Apple pode fornecer resultados de pesquisa com base em coisas tão diversas como e-mails, mensagens, mapas, eventos, lembretes, notas, fotos, arquivos, contatos, músicas, notícias, programas de TV e filmes, aplicações de terceiros ou documentos. Tudo isto, sem anúncios e com a promessa de privacidade de dados.

Como se percebe, a Apple tem muito a ganhar com este modelo. Entre os principais benefícios incluem-se:

  • a promoção de aplicações nos resultados de pesquisa que irão beneficiar os serviços da Apple e prejudicar as investidas do Google nas PWAs (Progressive Web Apps);
  • enfraquecimento do monopólio do Google sobre a pesquisa que se reflectirá, a jusante, num golpe significativo na receita de publicidade e mineração de dados;
  • promoção de produtos e serviços Apple com mais dificuldade de penetração no mercado  como a Apple News + e a Apple TV +.

O que é que um motor de pesquisa Apple significa para o SEO?

Caso este potencial motor de pesquisa Apple consiga captar uma generosa quota de mercado, a agência de SEO terá, forçosamente, de sofrer uma optimização e adaptação.

De certo modo, pelo menos com base nas informações do Applebot, as estratégias permanecerão as mesmas, mas existirá grande espaço para a inovação com a equipa de SEO a ter a oportunidade de testar e abrir caminho a coisas que não são possíveis com o Google ou outros mecanismos de pesquisa existentes.

Apesar de nesta altura tudo ainda não passar de especulação e conjecturas construídas a partir dos sinais que a Apple vai enviando para o mercado, é possível que os utilizadores de iOS, iPadOS e macOS já estejam a utilizar um motor de pesquisa da marca da maçã e nem tenham noção disso.

Este pode estar tão profundamente integrado com o sistema operacional e com as aplicações nativas que o Spotlight Search esteja a roubar lentamente as pesquisas que, de outra forma, seriam feitas no Google.